TERMINAIS DE INTEGRAÇÃO – ACESSO AO PATRIMÔNIO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Como já disse em outros posts, quem diz A precisa dizer B e assim inserimos a hipótese de que a mobilidade urbana auxiliaria no processo de educação e desenvolvimento de uma identidade cultural entre o patrimônio histórico, cultural e natural dos porto-velhenses. Nossa hipótese vai ainda mais longe e entende que os Terminais de Integração permitem acesso ao patrimônio e geram desenvolvimento econômico.

TERMINAIS DE INTEGRAÇÃO - ACESSO AO PATRIMÔNIO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO _
Foto: Aurélio Paz da Luz

Pois a mobilidade urbana, possibilita acesso ao acervo histórico, cultural e natural da cidade, criando relações de identificação entre patrimônio e sociedade através do processo de educação que possibilita o afeto pela cidade, podendo inclusive desenvolver o cuidado pela mesma.

Mas como poderá ser esta mobilidade?

Indicamos como meio, o transporte público, a acessibilidade por intermédio de terminais de integração. E onde podemos encontrar exemplos de terminais de integração? Não vou muito longe, em Manaus-AM. Mas os opositores podem argumentar, mas Manaus é uma cidade grande, com 2.094.391 habitantes (IBGE) e Porto Velho não é uma cidade grande. Então, outra cidade que também possui terminais de integração é Rio Branco no Acre.

Assim é possível fazermos terminais de integração em Porto Velho também, pois o necessário é que ideias se convertam em força cultural e política fazendo-se com que elas operem a partir de dentro e através de ações concretas de grupos, ou conglomerados de grupos que transformem a realidade.

Por isso, nós do portovelhando.com colocamos esse protótipo de projeto de lei à disposição dos nossos leitores.

LEIA TAMBÉM:
Porto Velho, além da educação escolar: Mobilidade Urbana para Educar

TERMINAIS DE INTEGRAÇÃO

PROJETO: DISPÕE SOBRE O SERVIÇO DE TERMINAIS PÚBLICO DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO.

I – TERMINAL – local onde se inicia ou termina viagem de uma determinada linha.

III – TERMINAIS DE INTEGRAÇÃO – espaço físico fechado que permite ao usuário a transferência de uma linha para outra sem necessidade de novo pagamento de passagem.

IV – EXPLORAÇÃO ECONÔMICA DOS TERMINAIS DE INTEGRAÇÃO – poderão os terminais de integração ser explorados economicamente na forma de camelódromo e lanchonetes.

Se Porto Velho criar seis terminais de integração sendo dois na Zona Sul, dois na Zona Leste, um na Zona Norte e um no centro da Avenida Jorge Teixeira, que poderá ser até na própria rodoviária  (já que ela sairá do local atual). A mobilidade urbana de Porto Velho melhoraria significativamente e ainda seria uma solução para os camelos que hoje se aglutinam em praças e ruas, locais impróprios para o desenvolvimento de suas atividades.

Desta forma, a exploração econômica dos terminais geraria trabalho, renda e impostos além de espaço próprio para os camelôs da nossa cidade.

Uma solução ao atual problema. Para onde vai a economia informal da capital? e como transformar o informal em microempreendedor individual com direitos, deveres e garantias?

Isso só é possível se portovelharmos e transformarmos em força cultural e política nossas ideias.

Portovelhou? Então Curta, Comente e Compartilhe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.